Uso de correias transportadoras na mineração gera desafios para o setor

Essenciais para o setor de logística das mineradoras brasileiras, as correias transportadoras de longa distância são responsáveis pela condução de matéria-prima e insumos para as próximas etapas da cadeia produtiva. Apesar de sua relevância, problemas como superaquecimento podem gerar dificuldades técnicas, paradas inesperadas e até incêndios.

O resultado são perdas financeiras que poderiam ser evitadas através de manutenção preventiva e preditiva, além de maior agilidade na solução de problemas identificados em diferentes pontos das correias.

Com os preços do minério de ferro retornando a patamares mais comuns, a eficiência nas diversas etapas de produção deve estar no foco das operações. Afinal, custos como extração, estoque, tratamento e embarque para exportação estão diretamente atrelados à eficácia das correias responsáveis pelo transporte dos insumos, que precisam percorrer longas distâncias apresentando o mínimo de falhas técnicas.

Pesquisa desenvolvida pela Fundação Dom Cabral (FDC) aponta que os gastos com logística representavam 12,37% do faturamento bruto da indústria brasileira em 2017. No setor de mineração, o investimento em logística foi responsável por 26% do faturamento bruto, se tornando campeão em gastos com soluções para transporte entre os segmentos avaliados pelo estudo.

Para o setor que atingiu a casa dos R$ 209 bilhões de faturamento em 2020, problemas na infraestrutura logística correspondem diretamente à perdas financeiras para as mineradoras.

Diretamente ligada à busca por mais eficiência na cadeia produtiva, a infraestrutura logística é responsável não somente pelo escoamento e distribuição física dos insumos, mas também pela viabilidade de todo o processo de mineração, afinal, nem sempre o polo de extração está próximo às rotas de escoamento.

Atividades ligadas ao planejamento da extração só são possíveis graças a uma estrutura de transporte eficiente, o que demanda atenção ao setor que se relaciona diretamente com diversas outras áreas operacionais, incluindo a busca por mais eficiência e redução de custos.

Manutenção preditiva: inspeção inteligente e em tempo real é capaz de diminuir consideravelmente custos no transporte

Além do impacto financeiro causado por problemas técnicos nas correias transportadoras, é preciso levar em consideração o tempo empregado para o restabelecimento da operação caso paradas inesperadas ocorram.

A possibilidade de acompanhar o estado das correias pode não somente prevenir falhas e incêndios, como diminuir os riscos para a saúde dos trabalhadores que atuam na manutenção. Afinal, além de demorada, cara e ineficiente, a inspeção manual pode conferir riscos desnecessários à equipe de operação das minas.

LEIA TAMBÉM:

Inteligência artificial para solucionar os problemas do uso das correias transportadoras

Soluções apresentadas através do uso de Inteligência Artificial (AI) na infraestrutura logística de mineradoras têm se mostrado efetivas, tornando processos de manutenção mais seguros, inovadores e com menor custo operacional. A tomada de decisões por equipes técnicas e gestores é otimizada por meio de dados e informações gerados pelo uso de dispositivos, entre eles drones capazes de monitorar a temperatura dos rolos das correias transportadoras.

O Deeptrack, solução desenvolvida pela Pix Force em parceria com a Eneva, possibilita a ação de drones capazes de identificar de forma automática o aquecimento de roletes em correias transportadoras.

Por meio de Inteligência Artificial (IA), a temperatura exata e a localização georreferenciada de cada rolo são identificadas e informadas em relatórios rápidos e precisos, que podem ser analisados de forma simultânea pela equipe de manutenção e operação das minas.

A tecnologia é capaz de atuar em ambientes hostis por meio de piloto automático e monitoramento remoto, permitindo o acesso a informações precisas. O monitoramento rápido e com menor custo possibilita a introdução de soluções promovidas pela IA no mercado brasileiro, conectando dispositivos a pessoas.

Além disso, uma auditoria de operação pode ser realizada, já que a gravação gerada pela atuação dos drones fica disponível após o processamento. Imagens RGB e termais são disponibilizadas, gerando informações sobre o funcionamento das correias em momentos específicos e respondendo a questionamentos sobre interferências na operação durante certos períodos de tempo.

A partir de informações sobre rolos com temperatura normal e anormal é possível obter um contexto histórico sobre aqueles que estão apresentando depreciação de funcionamento. Trechos da correia transportadora com problemas frequentes também podem ser identificados, otimizando o trabalho das equipes de manutenção.

A redução de custos com manutenção e paradas inesperadas nas correias transportadoras são apenas alguns dos benefícios gerados pela introdução da tecnologia no mercado brasileiro. Afinal, a disponibilização de informações oferece suporte para que equipes técnicas e gestores tomem decisões mais assertivas que podem impactar diferentes etapas da cadeia de produção.

Compartilhe este artigo:

Artigos Relacionados