Qual o significado de Big Data?

Qual o significado de Big Data? Essa expressão está cada vez mais comum nas redes e nas empresas, e se tornou uma característica importante da indústria 4.0. Com o avanço da tecnologia e dos sistemas de informação, os dados, hoje, são essenciais para diversos setores, seja em termos administrativos, de processo, marketing, produção, etc.

O significado de Big Data em tradução livre, no português, pode ser entendido como uma grande quantidade de dados (no sentido de informação armazenada). Vamos entender melhor o que isso significa, assim como a importância do Big Data, os 5 Vs do Big Data e alguns exemplos de Big Data. Boa leitura!

LEIA TAMBÉM:

O que é Big Data e qual sua importância?

Antes de entender o significado de Big Data, vamos entender o que significa Data. As quantias, caracteres e símbolos usados nas operações realizadas por computadores, que podem ser armazenados e transmitidos na forma de sinais elétricos e gravados em mídia de gravação magnética, óptica ou mecânica são os “dados”, ou Data.

O Big Data é uma combinação de dados estruturados, semi-estruturados e não estruturados coletados por organizações, que podem ser minerados em busca de informação e usados em projetos de machine learning, modos preditivos e outras aplicações avançadas de análise.

Sistemas que processam e armazenam Big Data se tornaram um componente comum do gerenciamento de dados em organizações, com o apoio de ferramentas que suportam sua análise.

O Big Data, em suma, refere-se a imensas quantias de dados armazenados, cuja importância se encontra não apenas no que esses dados representam, mas na maneira como podem ser usados. Sua análise permite que decisões sejam realizadas com maior precisão, dando confiança na hora de tomar ações estratégicas no meio industrial e corporativo.

Quais os 5 Vs do Big Data?

Em busca de compreender o significado de Big Data, é importante analisar os cinco Vs do Big Data. Confira-os abaixo:

  • Volume: Se pensarmos em Big Data como uma pirâmide, o volume seria a base. O volume de dados que as empresas armazenam cresceu a níveis sem precedentes desde 2012, e o volume tem aumentado desde então; essa quantia imensa de dados é o que dá o “Big” ao Big Data;
  • Velocidade: além de gerenciar os dados, as empresas precisam que essa informação flua de forma rápida, preferencialmente em tempo real. Às vezes a velocidade é mais importante que o volume, pois gera uma vantagem competitiva; por isso, pode ser melhor ter uma quantia menor de dados em tempo real do que uma quantia maior em baixa velocidade;
  • Variedade: uma empresa pode obter dados de diferentes fontes, como dispositivos e sensores eletrônicos, ou através do que as pessoas estão postando nas mídias sociais; a importância dessas fontes varia a depender do nicho do negócio ou indústria;
  • Veracidade: nesse contexto, a veracidade equivale à qualidade; uma empresa pode ter os dados que procurou, mas deve checar se há algo faltando, se os dados são precisos e “limpos” e se há uma serventia e objetivo em sua aplicação;
  • Valor: prosseguindo pela pirâmide, chegamos então ao topo, que é o valor; o valor se refere à habilidade de transformar uma imensa quantia de dados em negócios. É onde a aplicação do Big Data se executa.

Quais os exemplos de Big Data?

Entendemos o significado de Big Data, e partimos agora para sua aplicação. Existem diversos exemplos de Big Data, com aplicações úteis no mundo real, que fazem a diferença na maneira como as empresas podem administrar seus negócios e tomar decisões com qualidade estratégica e precisão informacional. Listamos abaixo alguns exemplos de Big Data:

  • Transporte: Big Data sustenta os aplicativos de GPS que usamos em nossos dispositivos, necessários para que possamos nos locomover pela zona urbana local; fontes de dados de GPS incluem imagens de satélites e agências governamentais. Aviões geram grandes quantias de dados para voos transatlânticos. No nicho de transporte, o Big Data serve para gerenciar congestionamento e controle de tráfego, assim como planejamento de rotas, por exemplo;
  • Propaganda e Marketing: antes, os profissionais de marketing analisavam a televisão e rádio e faziam pesquisas com grupos de foco para descobrir como o público ia responder a determinadas estratégias de marketing, um processo que era custoso e longo. Hoje, é possível coletar grandes quantidades de dados para identificar o que os consumidores clicam e buscam muito mais rapidamente; o objetivo é saber o que os possíveis clientes “curtem”, e o que isso representa para a indústria;
  • Serviços financeiros e bancários: a indústria financeira usa o Big Data para diversos fins, como detecção de fraude (analisando padrões de compra e anomalias no comportamento dos clientes), gerenciamento de riscos, otimização na relação com o consumidor, compreendendo melhor como prospectar consumidores e incentivar o uso de produtos financeiros;
  • Mídia e entretenimento: a indústria de entretenimento é um dos exemplos de Big Data, e se utiliza dos dados para analisar a opinião dos consumidores, prever os interesses e preferências do mercado, otimizar sua programação e suas campanhas de marketing. Dois exemplos são o Amazon Prime, que usa análises de Big Data para recomendar programas para os usuários, e o Spotify, que faz algo parecido, oferecendo sugestões personalizadas de músicas;
  • Meteorologia: satélites e sensores de meteorologia por todo o mundo coletam grandes quantidades de dados para rastrear as condições ambientais. Meteorologistas usam Big Data para estudar padrões em desastres naturais, fazer previsões do tempo, compreender o impacto das mudanças climáticas, prever a disponibilidade de água potável em regiões e emitir alertas para o caso de eventos críticos como furacões e tsunamis;
  • Saúde: o Big Data também está presente na indústria da saúde. Aqui, dispositivos e sensores podem coletar dados dos pacientes, que são transmitidos para os registros eletrônicos de saúde dos indivíduos. As organizações então podem usar o Big Data para prever epidemias, prevenir doenças, emitir alertas em tempo real, acelerar processos de pesquisa, etc.

Outros exemplos incluem o uso dos dados na segurança cibernética e na área da educação, o que demonstra a importância do Big Data, e como ele se espalhou por todos os nichos da sociedade moderna, dos consumidores às empresas, do campo científico ao dos serviços.

Conclusão

O significado de Big Data engloba um conjunto massivo de conteúdo (dados) coletados com algum objetivo, podendo envolver terabytes, petabytes e até exabytes.

Essa tecnologia é uma das maiores inovações da era digital. Mediante análises aprofundadas, a coleta de dados nessa proporção fornece informações vitais aos métodos de decisão e planejamento em quase todo tipo de indústria.

Na última década, o Big Data cresceu ao ponto de estar presente em quase todo aspecto do nosso estilo de vida, envolvendo nossos hábitos de consumo e preferências individuais.

Por fim, a Pix Force oferece diversas soluções tecnológicas com base em Big Data. Entre em contato com a gente e saiba mais!

Compartilhe este artigo:

Artigos Relacionados